Em 7 abril de 1986 a emissora daria mais um passo na dramaturgia, filão que começara a explorar um ano antes com uma sucessão de minisséries. Baseada na obra de Agripa Vasconcelos, adaptada para a TV por Wilson Aguiar Filho, teve a direção do experiente em produções de época, Herval Rossano. A novela teve 89 capítulos, inovando no formato mais curto, a um custo total de 64 milhões de cruzados, ou cerca de 5 milhões de dólares à época.

Anúncio provocador de Dona Beija
Anúncio provocador da novela Dona Beija, com Maitê Proença

Protagonizada por Maitê Proença e contando ainda com nomes como Sergio Britto, Gracindo Jr., Arlete Salles, e outro veterano em novelas de época, Carlos Alberto, a novela logo superou as expectativas, aumentando a audiência da Manchete de 5 para 15 pontos no horário, no primeiro mês no Rio. Retirou 5 pontos da Globo (44 para 39), 1 ponto do SBT (de 5 para 4 pontos) e 2 da Bandeirantes (4 para 2). Teve grande repercussão de público e de crítica em todo o país.

No terceiro e último mês, teve 18% de share de audiência média no Rio, numa época em que a emissora ainda sofria alta rejeição em SP por causa do seu sotaque carioca. Na capital paulista, os números oscilavam entre 5 e 6 pontos. Na época o mercado do Rio era mais relevante do que se tornaria anos depois, respondendo por 20% do investimento publicitário, contra 40% de São Paulo. A aferição de audiência no resto do país era precária, mas o painel nacional do Ibope apontava para os mesmos 18% de TVs ligadas no país e 15 pontos do total 1.

Sucesso em sua primeira exibição na TV Manchete, Dona Beija consagrou Maitê Proença como símbolo sexual ao exibir cenas da atriz nua numa cachoeira, e cavalgando igualmente como veio ao mundo. Tanto que, no ano seguinte, ela estampou a Playboy como um dos ensaios sensuais mais comentados da época.

Baseada nas obras Dona Beija, a Feiticeira do Araxá, de Thomas Leonardo, e A Vida em Flor de Dona Beija, de Agripa Vasconcelos, a novela conta a trajetória de Ana Jacinta de São José, uma linda mulher que abalou a pacata Araxá (MG) no século XIX.

A mistura da beleza de Minas Gerais vinha acompanhada de um fortíssimo enredo e de cenas de erotismo. A novela tinha os ingredientes necessários para manter o público ligado na Manchete.

Foi exibida no horário das 21:20hs, após o Jornal da Manchete e ainda foi assistida por um total de 15 países, entre eles, Estados Unidos e Japão.

Dona Beija foi reprisada duas vezes na Manchete:
 – de 09/05 a 20/08/1988, em 89 capítulos, de segunda a sábado, às 21h30.
 – de 05/10/1992 a 11/03/1993, em 102 capítulos, de 2ª a 6ª feira, às 21h30.
Ainda foi lançada em vídeo, em 1987.

Em 2009, o SBT decidiu reprisar a novela, fazendo suspense sobre durante o relançamento. A emissora anunciava uma “nova arma secreta”, “mais um sucesso da TV Manchete”, embalada no sucesso que a reprise de Pantanal teve no ano anterior. Mas a reexibição de “Beija” na faixa das 23hs ficou presa na média dos 4 pontos, e não correspondeu às expectativas de audiência.

  1. Números publicados pelo Jornal Folha de São Paulo, no dia 14 de julho de 1986

Playlists de Dona Beija

Arquivo Manchete - Dona Beija (Abertura) 1986
1 de 1

Notice: Undefined index: next in /var/www/html/wp-content/plugins/yotuwp-easy-youtube-embed/templates/grid.php on line 11
1 de 1

Abertura, cena marcante do passeio nu a cavalo, chamada de capítulo original da TV Manchete, Primeiro capítulo completo com a cena de banho nú na cachoeira e por fim, trilha sonora original completa da novela.