Sobre Marquesa de Santos

Milionária produção com a qual a TV Manchete entrava no páreo da dramaturgia na televisão.

Um painel histórico devidamente pesquisado (além de Paulo Setúbal, o autor – Wilson Aguiar Filho – cita outras fontes de pesquisa), só se tornando ficcional em relação ao comportamento dos personagens. Exibiu D. Pedro I com muitas amantes e filhos, e uma Domitila arrogante e voluntariosa.

Mostrou também algumas interessantes tramas paralelas. A melhor delas colocava em cena o filho bastardo de D. Pedro I, Augusto, fruto de um caso de amor na adolescência com a condessa austríaca Ana Steinhaussen, fuzilado de forma heróica sem que o pai pudesse interceder em seu favor.

Um interessante trabalho de Gracindo Júnior em papel difícil – Tarcísio Meira, desde o filme Independência ou Morte, de 1972, tornou-se o protótipo de D. Pedro I. Glória Menezes viveu a Marquesa de Santos no filme de Carlos Coimbra.

Vale ressaltar o empenho do ótimo elenco escalado que reunia vários astros e que garantiram o destaque desta produção.

A Manchete chegou a reprisar a minissérie por pelo menos cinco vezes.

Marquesa de Santos foi lançada em video em 1988.

Por Diogo Montano, em 24/09/1999