Dona Beija foi sucesso nacional

Em 7 abril de 1986 a emissora daria um passo importante na dramaturgia com a novela , alcançando, depois de dois anos produzindo minisséries e a novela Antonio Maria, o sucesso de público e crítica que sonhava. m

Baseada na obra de Agripa Vasconcelos, adaptada para a TV por Wilson Aguiar Filho, Dona Beija teve a direção do experiente Herval Rossano, expert em produções de época. A novela teve 89 capítulos, inovando no formato mais curto, a um custo total de 64 milhões de cruzados, o equivalente a cerca de 5 milhões de dólares à época.

Anúncio provocador de Dona Beija
Anúncio provocador da novela Dona Beija, com Maitê Proença

Protagonizada por Maitê Proença e contando ainda com nomes como Sergio Britto, Gracindo Jr., Arlete Salles, e outro veterano em novelas de época, Carlos Alberto, a novela logo superou as expectativas, aumentando a audiência da Manchete de 5 para 15 pontos no horário, no primeiro mês no Rio. Retirou 5 pontos da Globo (44 para 39), 1 ponto do SBT (de 5 para 4 pontos) e 2 da Bandeirantes (4 para 2). Teve grande repercussão de público e de crítica em todo o país.

No terceiro e último mês, Dona Beija marcou 18% de share de audiência média no Rio, numa época em que a emissora ainda sofria alta rejeição na Grande São Paulo por causa do seu “sotaque” carioca. Na capital paulista os números oscilavam entre 5 e 6 pontos.

Na época o mercado do Rio era mais relevante do que se tornaria anos depois, respondendo por 20% do investimento publicitário, contra 40% de São Paulo. A aferição de audiência no resto do país era precária, mas o painel nacional do Ibope apontava para os mesmos 18% de TVs ligadas no país e 15 pontos do total 1.

Maitê Proença na capa da revista Fatos, em 1986
Maitê Proença na capa da revista Fatos, em 1986

Sucesso em sua primeira exibição na TV Manchete, Dona Beija consagrou Maitê Proença como símbolo sexual ao exibir cenas da atriz nua numa cachoeira, e cavalgando igualmente como veio ao mundo. Tanto que, no ano seguinte, ela estampou a Playboy como um dos ensaios sensuais mais comentados da época.

Baseada nas obras Dona Beija, a Feiticeira do Araxá, de Thomas Leonardo, e A Vida em Flor de Dona Beija, de Agripa Vasconcelos, a novela conta a trajetória de Ana Jacinta de São José, uma linda mulher que abalou a pacata Araxá (MG) no século XIX.

A mistura da beleza de Minas Gerais vinha acompanhada de um fortíssimo enredo e de cenas de erotismo. A novela tinha os ingredientes necessários para manter o público ligado na Manchete.

Foi exibida no horário das 21:20hs, após o Jornal da Manchete e ainda foi assistida por um total de 15 países, entre eles, Estados Unidos e Japão.

Reapresentações

Foram duas reprises na Manchete:

  •  de 09/05 a 20/08/1988, em 89 capítulos, de segunda a sábado, às 21h30.
  •  de 05/10/1992 a 11/03/1993, em 102 capítulos, de 2ª a 6ª feira, às 21h30.

Dona Beija no SBT

Em 2009, o SBT decidiu reprisar a novela, fazendo suspense sobre durante o relançamento. A emissora anunciava uma “nova arma secreta”, “mais um sucesso da TV Manchete”, embalada no sucesso que a reprise de Pantanal teve no ano anterior. Mas a reexibição de “Beija” na faixa das 23hs ficou presa na média dos 4 pontos, e não correspondeu às expectativas de audiência.

  1. Números publicados pelo Jornal Folha de São Paulo, no dia 14 de julho de 1986

Por Diogo Montano

Diogo Montano é Bacharéu em Ciência da Computação, pós graduado em Gestão de Negócios, e trabalha há quase vinte anos unindo duas coisas que sempre gostou: comunicação e tecnologia. Cresceu assistindo à Globo e Manchete(imagens sem interferências na baixada fluminense), e em 1999, ainda antes de entrar na faculdade, publicou a primeira versão deste site, logo após a venda da emissora. Atualmente trabalha como PM(Product Manager) no Globoplay.

leia também

tudo sobre