1994: Aposta em produções independentes, eventos esportivos e a estreia dos Cavaleiros do Zodíaco

Arrumando a casa

Anúncio da programação de 1994

Em 1994 a emissora resolve inovar o esquema de produção de novelas e lança 74,5 Uma Onda no Ar, produzida pela TV Plus, e protagonizada por Letícia Sabatella e Ângelo Antônio. Gravada em Búzios,  sendo a primeira novela feita por uma produtora independente, não chega a ter grande sucesso de audiência.

cavaleiros

Do gênero Anime, estreia o japonês “Cavaleiros do Zodíaco”, que logo viraria mania nacional, registrando médias de 16 pontos de audiência em cada uma de suas duas exibições diárias, o que serviu como forte ferramenta a favor da repopularização da Manchete. O programa ia ao ar pela manhã, dentro do Dudalegria, e novamente à tarde, no Clube da Criança, que ganhava nova apresentadora: Patrícia Nogueira.

O ano de 94 também se destacou por produções dramatúrgicas. A série “Incrível, Fantástico, Extraordinário” é um exemplo disso. Em cada episódio, era tratado um tema diferente, tendo o suspense como “pano de fundo”.

O restante da programação da Manchete em 94 se resumiu a programas de televendas e campeonatos estrangeiros. A produtora Telemil invadia a tela da emissora com atrações que tinham como finalidade vender produtos milagrosos. Entre eles destacaram-se o Momento Mulher, que ia ao ar às 11h, e Papo Sério,  apresenatdo por Lolita Rodrigues de segunda à sexta às 16h. Nos fins de semana, a grade se resumia à programação esportiva. A TV Sport era a responsável pelas transmissões esportivas, exibindo campeonatos de futebol estrangeiros, seções de luta livre,  Fórmula 3, além do lendário Canal 100.  Além disso, a Manchete exibiu com exclusividade a Copa do Brasil e a Fórmula Indy.

À tarde, Anna Bentes Bloch literalmente “colocava a mão na massa”. A então esposa de Adolpho Bloch comandava “Os Médicos”, um programa de entrevistas com especialistas em saúde e profissionais da medicina, esclarecendo dúvidas dos telespectadores que participavam por fax e telefone.

Às 19hs, ainda em 94, estreava a novela argentina “Além do Horizonte”. Os resultados iniciais foram acima do esperado: a novela registrou uma audiência de 5 pontos. Nessa mesma época, de segunda à sexta após o Jornal da Manchete, a emissora exibia o Cine Manchete, com uma sessão por dia: Primeira Classe, Terça Especial, Cine Suspense, Campeões do Mundo e Sexta Máxima. Sem títulos inéditos, as sessões traziam filmes para todos os gostos e premiadas produções do cinema mundial.

Por falta de verbas, a emissora deixou de exibir grandes eventos como a Copa do Mundo e, por incrível que pareça, o Desfile das Escolas de Samba do Rio. Além disso, seus horários estavam quase todos “alugados” a produções independentes e os programas produzidos pela emissora não geravam considerável rendimento financeiro. Podemos dizer que esse foi o período onde tentou-se “arrumar a casa”. O faturamento e a confiança do mercado de anunciantes só se consolidariam a partir do ano seguinte.

Além disso, um grande projeto começava a fazer brilhar os olhos da direção da emissora: a adaptação para a TV de “Tocaia Grande”, livro escrito por Jorge Amado. Acreditava-se que com essa história, a Manchete reconquistaria seu lugar de destaque na TV.

leia também

tudo sobre